domingo, 19 de abril de 2015

Finais de RJ e SP inesperadas, mas justas

Antes dos Estaduais começarem, nem mesmo o mais pontual dos especialistas apontou que Botafogo, Vasco, Santos e Palmeiras fariam as finais de RJ e SP. Mas foi exatamente o que aconteceu, e com extrema justiça. Favoritos como Flamengo, Fluminense, Corinthians e São Paulo ficaram pelo caminho.

RIO

No conturbado Cariocão, polêmicas e chororôs não faltam. A dupla Fla-Flu grita pelos quatro cantos que a decisão atual é o sonho da FFERJ, que está em rota de colisão com o tricolor e com o rubro-negro. De fato, o presidente Rubens Lopes deve estar com um imenso sorriso no rosto, no entanto, é muita hipocrisia tirar os méritos de Botafogo e Vasco, que fizeram por merecer a vaga.

É verdade que a punição exagerada ao atacante tricolor Fred, que acabou ficando fora da partida decisiva da semifinal, pode ter contribuído. O primeiro gol do Botafogo no duelo, também saiu de uma jogada irregular, não marcada pelo bandeirinha, prejudicando o Flu. Mas o tricolor, que já se classificou aos trancos e barrancas na primeira fase, deixou muito a desejar tecnicamente. O time foi incompetente ao não conseguir definir o jogo no tempo normal, uma vez que o alvinegro estava se arrastando, completamente esgotado fisicamente. Três jogadores lesionados, que estavam no sacrifício, tiveram, inclusive, que participar das cobranças de pênaltis. E o Cavalieri, heim? Acabou cobrando um tiro de meta que custou caro. O Botafogo, independentemente do que acontecer no jogo com o Vasco, sai do Estadual com o dever cumprido.

Já o Vasco foi de fato beneficiado com um pênalti inexistente que acabou gerando o gol da vitória de Gilberto no segundo jogo com o Flamengo. O atacante, aliás, merecia ter sido expulso ao comemorar o gol nas escadas que dão para as cadeiras do Maracanã, como diz a determinação da Comissão de Arbitragem. Por outro lado, se os erros não ocorressem, o Vasco já entraria no jogo decisivo praticamente classificado, em função de ter sido prejudicado em um dos maiores absurdos da história do futebol, quando viu, na partida de ida, o juiz ignorar o cartão vermelho em três agressões de diferentes jogadores - Jonas, Wallace e Marcelo Cirino. O Flamengo que me perdoe, mas, com todo o histórico - gol irregular na final do Estadual de 2014, bola que entrou dois metros e o juiz não deu gol no mesmo ano, entre outros -, a torcida não tem nenhum motivo para reclamar. Além disso, Doriva foi taticamente superior ao experiente Luxemburgo. Todas as mudanças e escalações foram corretas, ao contrário do rival, que abriu o time ao desmontar a formação com três volantes no intervalo e ainda surpreendeu ao sacar, depois, os dois melhores jogadores, que poderiam desequilibrar: Everton e Marcelo Cirino. Não foi feliz.

SP

Enquanto as prioridades de Corinthians e São Paulo estão na Libertadores, Santos e Palmeiras deram o bote. O Santos aproveitou o desespero tricolor, que precisa de um resultado positivo no meio de semana para avançar no torneio continental e venceu o desafio no tempo normal. Já o Palmeiras não teve medo da fama do maior rival e venceu nos pênaltis. Duelo interessante entre o time dos Robinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário