domingo, 25 de agosto de 2013

Pois é...

Sabe aquele dia em que tudo sai conforme o esperado e, mesmo assim, a impressão é de que faltou alguma coisa? Pois é...

Você acorda cedo e, ao contrário do que sempre acontece, você não acorda cansado e nem irritado, parecendo que teve mais de 10 horas de sono enquanto, na verdade, teve pouquíssimas? Pois é...

Embora tenha que enfrentar transporte público e andar por uma área perigosa da cidade, que ainda vive um canteiro de obras, você chega ao local em um estalar de dedos, sem nem perceber que caminhou bastante. Pois é...

Mesmo a porta de entrada sendo distante, você vê um atalho e entra sem dificuldades. Fácil, não? Pois é...

Um projeto que você trabalhou por mais de um ano, com muito esforço e dedicação, chega ao fim com total sucesso. Pois é, mas, apesar disso tudo no mesmo dia, aquele saboroso sentimento de vitória não faz nem cosquinhas...

Pois é, nem tudo sempre faz sentido...

Pois é, a mente humana é um barato porque nem mesmo a nossa conseguimos entender...

Pois é, dar tudo certo não é sempre um sinônimo de realização...

A única certeza que podemos ter é que, às vezes, não dependemos apenas das sementes boas para colher os frutos mais doces. Ao mesmo tempo, podemos transformar aqueles mais azedos em sucos revigorantes.

Pois é...

domingo, 18 de agosto de 2013

A triste realidade do Atletismo brasileiro

Foto: AFP
O Mundial de Atletismo chegou ao fim em Moscou neste domingo (18) e, o que poderia ser uma ponte para as Olimpíadas do Rio, acabou virando um sofrimento para o Brasil. Nosso país terminou a série de competições sem qualquer medalha, atrás de países com menos tradição no esporte, como Colômbia, Botswana e até mesmo Djibouti.

Sem representantes em finais importantes, como nas provas dos 100m e do salto triplo, acabamos depositando as esperanças outra vez em Fabiana Murer, que não correspondeu. Também estivemos perto do pódio no salto em distância. Duda, porém, não conseguiu a melhor marca e terminou em quinto lugar.

Mas o erro inadmissível aconteceu mesmo no revezamento 4x100m feminino. O Brasil vinha, surpreendentemente, fazendo uma prova espetacular, permanecendo com folga no segundo lugar. Até que, na última passagem de bastão, o instrumento caiu, nos desqualificando. Por trás do erro, que pode até ser considerado amador, surge a polêmica: a atleta Vanda Gomes estava estreando no Mundial e havia herdado a vaga de Rosangela Gomes, que correu a semifinal e acabou ficando fora da final por uma opção do técnico. Uma aposta que deu errado e acabou custando a medalha.

Ainda falta investimento em Esporte no Brasil. Vejo muita gente indo às ruas protestar contra uma série de ações, porém, ainda não vi ninguém pedindo mais atenção do Governo neste setor. O Esporte não se resume a medalhas em grandes competições. Ao contrário, vai muito além disso. O Esporte auxilia a educação, previne problemas da Saúde e, principalmente, é uma forma de ação social. O povo brasileiro deveria se preocupar mais com isso.

Que nos próximos três anos tenhamos uma preparação mais eficaz para chegar com dignidade até as Olimpíadas de 2016. Caso contrário, seremos obrigados a aplaudir apenas os feitos geniais de estrangeiros como Usain Bolt e Yelena Isinbayeva.