quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Quando faltam palavras para homenagear um ícone; Descanse em Paz, Luiz Mendes!

A minha vida sempre se confundiu com o rádio. Muito antes de sonhar em trabalhar um dia na "latinha", como dizem os radialistas, meu avô, o repórter esportivo Luiz Fernando Vassallo Guichard, já se consagrava como "o repórter que sabe de tudo". Nessa trajetória profissional, ele acabou formando um laço de amizade que ultrapassava os ambientes radiofônicos. Nascia ali uma relação de irmão com Luiz Mendes.

Sempre generoso e amigo, muito próximo, Mendes segurou a minha mãe no colo, viu meus tios crescerem e conheceu meu primo e eu ainda bem moleques.

Minha primeira lembrança vem em março de 2002, quando as fotos de Mendes, do meu avô e de diversos nomes do Jornalismo Esportivo das antigas passaram a estampar o corredor das cabines de rádio do Maracanã. Logo após as homenagens, aconteceu um Vasco x Botafogo, válido pelo Torneio Rio-São Paulo. O jogo terminou em 2 a 2, no entanto, os dois experientes comentaristas achavam graça ver um menino de 11 anos reclamando do treinador cruzmaltino, que não havia colocado o Souza em campo quando o time precisava de um gol.

O tempo foi passando e, após alguns outros encontros em eventos como a "Bola de Ouro" e alguns seminários na ABI, veio uma emoção que jamais vai sair da minha memória. Mais uma vez convidado pelo José Carlos Araújo para fazer uma participação no Globo Esportivo como comentarista convidado, na Rádio Globo, tive a honra de dividir a mesa com o Garotinho e com ele. Lembro de quando o Zé me chamou para o primeiro comentário e o Mendes, com a cabeça, fazia sinal de que concordava. No intervalo, colocou a mão no meu ombro e falou bem baixinho: "Concordo com tudo o que você disse. É assim mesmo. Parabéns". Aquele momento único, por mais simples que possa parecer, foi de grande impacto na minha carreira.

Hoje não tem esse negócio de emissora A, B ou C. Todo o Rádio brasileiro está de luto, sofrendo com as saudades de um profissional ímpar, um comentarista genial e uma pessoa de caráter raríssimo no mundo. Peço desculpas por eventuais excessos, mas, enquanto termino este texto, lágrimas escorrem dos meus olhos. Impossível não emocionar.

Obrigado, Mestre Luiz Mendes! Você não sabe a falta que vai fazer por aqui. Descanse em Paz! A "sua gente", Mendes, jamais vai esquecer os seus ensinamentos.

Força, Dona Daisy Lúcidi e toda a família.

Fica aqui a minha singela homenagem, com a abertura do Globo Esportivo, exibido em 2009:

domingo, 23 de outubro de 2011

Dirigentes acertam na decisão para o Carnaval 2012

É fato que os compositores estavam inspirados nas obras para o Carnaval de 2012, no entanto, vale ressaltar que os dirigentes também foram extremamente felizes ao escolher os sambas-enredo para o ano que vem. Com uma exceção ou outra, a maioria das escolas acertou e vai fazer do CD oficial do Grupo Especial um dos melhores dos últimos anos.

Parabéns, especialmente, Portela e Vila Isabel, que possuem, na minha audição, as obras mais promissoras.

O Carnaval agradece!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Safra de sambas-enredo 2012 está abençoada

Três finais de samba-enredo já aconteceram rumo ao Carnaval 2012 e as escolas vêm acertando a mão. Mangueira, Renascer e Salgueiro escolheram as melhores obras das competições, mostrando que o CD do Grupo Especial em 2012 promete render belas canções, como há muito tempo não ouvíamos.

Vale ressaltar, ainda, a contagiante emoção na final dessa quarta-feira (12), no Salgueiro. Compositores já eliminados subiram ao palco e, chorando, pegaram o microfone para cantar o samba campeão - diga-se de passagem, um inspiradíssimo hino de Marcelo Motta e cia.

"Salgueiro é amor que mora no peito!"

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Rápido balanço do Rock in Rio

Apenas alguns rápidos comentários sobre o Rock in Rio 2011.

Melhor show - Stevie Wonder
Com sobras. Cantar "Você abusou", de surpresa, é um momento que jamais vai sair da história do festival.

Pior show - Ke$ha
Destoou completamente. Fez uma apresentação tão bizarra que conseguiu tirar o troféu de Claudia Leitte, que já estava agarrada no prêmio.

Revelação - Joss Stone
Não entendi por que tocou no Palco Sunset. Mesmo longe do Mundo, fez o palco principal parecer coadjuvante